Craque palestino é expulso de campo por artilharia israelense

Craque palestino é expulso de campo por artilharia israelense

Foto: Dubes Sônego/Flickr

Os últimos dias vinham sendo barulhentos, então teve uma noite mal dormida. Levantou-se sem ver que horas eram e olhou pela janela, vendo fumaças em certos pontos da paisagem.

Sabia o que eram, mas preferia ficar distante disso tudo, deixar as coisas para quem realmente lidaria com tais contingências. Afinal, ninguém tinha razão naquilo, mas melhor não falar nada.

Havia pouca comida em seu apartamento, mas um resto de café velho que por sorte conseguira comprar umas semanas antes, além de uns biscoitos, uns pistaches e alguns grãos. A água tinha que ser racionada, mas ainda dava pra contar com ela.

Como a cozinha não estava muito clara, tentou ligar a luz, apenas para constatar que a eletricidade não estava correndo pelos fios de cobre daquele apartamento. Aliás, agora reparou que, ao olhar pela janela, não viu um único ponto de luz acesa. Alguma coisa acontecera na usina termelétrica próxima.

Foto: Internet

Foto: Internet

Após a excursão pela cozinha, voltou para cama e tentou recuperar os sonhos perdidos, aqueles com algumas glórias do passado. Aquelas glórias que só significaram alguma coisa para um seleto grupo de pessoas em um seleto território.

Pouco depois de se deitar, um barulho que veio de cima, tão baixo que era quase imperceptível, começou a crescer, e crescer, e crescer, e de repente não ouviu mais nada.

Ahed Zaqout, 49 anos, ex-meio campista da seleção de futebol da Palestina, considerado por alguns como a maior lenda do futebol palestino, morreu deitado sobre sua cama em Gaza, vítima de um disparo de artilharia de Israel.

Diz uma fonte que ele não foi convocado nem para o banco de reservas da seleção do além. Mas para os quase 2 milhões de palestinos em Gaza, ele sempre foi titular.

Comentários

Comentários