TRÊS DICAS

TRÊS DICAS

TRÊS DICAS “É, ele é mais para intelectual”, ouvi da dentista. Devia ter não mais que sete anos, e estavam lá alguns primos e minha irmã, os objetos do “mais para” em comparação. Era ocasião dessas assepsias periódicas que mães e às vezes pais infligem aos filhos em...
Jornalismo pra quê?

Jornalismo pra quê?

No meu tempo de criança, a velha Teleceará tinha alguns serviços de referência. O sujeito discava – ou digitava, como se passou a fazer e a dizer nos estertores do sistema Telebrás – 130 e ouvia a “hora certa”: uma monótona e chiada gravação que informava...
Marketing pra quê?

Marketing pra quê?

Outro dia escrevi aqui sobre a ação de marketing “Mães de Segurança“, criada pela Ogilvy para o Sport Club do Recife. Ontem vimos pela TV outra iniciativa de marketing que tem o mesmo objetivo de pacificar os estádios: o Sport Club Internacional propôs que...
Mães da Ilha do Retiro

Mães da Ilha do Retiro

Embora estilisticamente questionáveis, os clichês, assim como os trocadilhos, sao perdoáveis quando perpetrados conscientemente. Quando acompanhados do aviso “atenção, clichê adiante!”, tornam-se então uma ferramenta de trabalho legítima, a serviço da...
COITADO DO BRASIL

COITADO DO BRASIL

COITADO DO BRASIL O esporte genuinamente nacional é e sempre foi o Carnaval. Sustentando essa afirmação por partes: o Carnaval no Brasil é um esporte. Cada um tem sua agremiação preferida. Há disputa oficial anual, há primeira e segunda divisão, há patrocínio e...